© Renato Cabral
Formados em 2014 e urdindo do Porto, que os Sunflowers andam a deixar o panorama musical português agitado desde então. Talvez seja porque o que sai do sistema de som não parece relacionado com o seu nome florido. Talvez seja pela sua ética de trabalho inigualável e inquietante. Talvez seja só controlo da mente através de ondas rádio. Quem sabe?
Em mais de 250 concertos, partilharam palco com bandas como Oh Sees, Moon Duo, Black Lips, Night Beats Boogarins, La Femme, etc e tocaram em festivais como Festival Indigènes (FR), Endless Daze Fest (SA), Inner City Psych Fest (SA), Bristol Psych Fest (UK), Festival Europavox (FR), Festival Super Bock Super Rock (PT), NOS Alive (PT) , entre muitos outros.
Vêm ao Impulso apresentar “Endless Voyage” , um álbum conceptual sci-fi sobre o fim do mundo, a ascensão da máquina, o sentimento de ambiguidade sobre a nossa própria individualidade e a aceitação do caos. No seu espírito de ignorar-tudo-o-que-lhes-foi-dito-para-o-seu-bem , a banda mostra-se inquietante nos concertos ao vivo, entregando uma performance que tem tanto de block party psicadélica como de sessão de esfaqueamento sonoro. E pedem ao público para partilhar a sua energia, para a propagar mais longe do que as colunas de um PA com uma coluna furada o consegue fazer. Para deixar que a sua energia faça aquilo que foi concebida para fazer: quebrar com as correntes simbólicas que nos prendem as nossas mãos, distraindo-nos com ecrãs, anúncios e vídeos de cães. Haverá alguém que irá tentar manipular, censurar e controlar as ondas sonoras para que estas fiquem salvas do ataque sónico iminente da banda.
*os horários dos eventos estão sujeitos a alterações tendo em conta a atualização das medidas de contingência face à COVID-19
Back to Top