Odete trabalha no cruzamento da escrita, da música, da performance e das artes visuais, deixando claro qual é o universo pelo meio do qual se move: autobiográfico e desafiador dos limites entre o pessoal e o político. Descreve a sua música como uma teoria sensorial para uma meninice cansada, feita de silêncios, falhanços e quebras, construída a partir de uma narrativa de transição e da sua própria experiência enquanto mulher trans. As suas performances a solo são frequentemente habitadas por gravações caseiras de destruições e funerais e os beats de uma história inteira de música queer. Depois de “Amarração” na Rotten Fresh e “Matrafona” na naivety, no decorrer deste ano editou “Water Bender” pela inglesa New Scenery.
*os horários dos eventos estão sujeitos a alterações tendo em conta a atualização das medidas de contingência face à COVID-19
Back to Top